Resenhas

Coração brasileiro

Manuel da Costa Pinto

2003

A sensibilidade artística precede as diferenças entre os gêneros literários – e por isso não chega a ser surpreendente que uma premiada escritora de livros infanto-juvenis como Stela Maris Rezende tenha sido a vencedora da segunda edição do Prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira na categoria conto.

Autora de vinte e seis livros publicados, esta escritora nascida em Dores do Indaiá (MG) e hoje residente em Taguatinga (DF) consegue a proeza de conciliar a cor local e as matizes do cotidiano com epifanias que transcendem tempo e espaço. O próprio título do livro, Coração brasileiro, indica que a obra oscila entre a representação de dores ou alegrias que pertencem a todos nós (seres humanos) e um profundo enraizamento na vida e em costumes que marcam a experiência de todos nós (brasileiros).

Mas essa oscilação também se dá na dimensão temporal de suas narrativas. Os contos de Stela Maris Rezende estão impregnados por uma atmosfera de cidade de interior, de vida provinciana, de passado familiar; ao mesmo tempo, essas personagens que transitam pelos quintais e ruas da memória carregam as angústias cosmopolitas de um tempo em que o lirismo da vida cotidiana é submetido a um massacre diuturno, em que a solidão urbana, a alienação e a insensibilidade alheia parecem ser nossa melancólica condição. (Não por acaso, várias das personagens de Coração brasileiro encontram refúgio e consolo no universo dos artistas de TV e nas canções melosas dos cantores populares, que são uma forma sutil de prótese emocional).

Há, portanto, um sentido crítico (social e existencial) por trás do intimismo de Stela Maris Rezende. Afinal, a escrita em surdina de seus contos é uma espécie de imagem em negativo de nossa realidade degradada; como resposta aos traumas pessoais e ao anonimato dessas vidas cinzentas que percorrem Coração brasileiro, ela nos oferece uma superação que se opera pelo cultivo da sensibilidade: uma salvação pela palavra poética.

Mas talvez o modo mais direto de expressar a importância desse livro seja simplesmente dizer que ele foi selecionado por uma comissão julgadora composta por três de nossos mais importantes contistas contemporâneos: Vera Albers, Luiz Ruffato e Nelson de Oliveira.

In: Coração brasileiro. Prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira/categoria conto/Revista Cult. São Paulo, Lemos, 2003

Manuel da Costa Pinto é jornalista, editor e apresentador de TV 

 
 
 
Email
facebook
Imprimir