Resenhas

A mocinha do Mercado Central

Heliete Millack

2011

Um romance envolvente que conta a história de Maria e suas múltiplas personalidades, criadas na sua busca pela própria identidade e pela tentativa de compreender melhor as circunstâncias da vida. Cada nome inventado por ela carrega um significado, ensinado por Valentina Vitória, a vizinha e amiga que a inspirou nessa aventura. Diferentemente de Pessoa, cujos heterônimos têm nome e sobrenome, traços físicos e de personalidade independentes, as facetas de Maria, conforme vão sendo vivenciadas, são amalgamadas entre si e incorporadas ao seu próprio ser, ou será que apenas descobertas?

Uma viagem no espaço, no tempo, nas sensações, um verdadeiro passeio pela alma humana e pelo mundo da imaginação, mais um argumento para acreditar na força da literatura; é o que o leitor encontrará nessa obra. A mocinha do Mercado Central é tudo isso "junto e misturado", mexendo e remexendo na memória do leitor, fazendo-o flutuar da realidade para a magia do mundo dos sonhos. E se, por um descuido, ou seria mergulho, ele se desperceber de onde começa uma e onde termina a outra, terá compreendido que "um sonho também é uma boa prática". "E a vida terá sido simplesmente mágica."

É um livro para se ler de um fôlego só, cuja narrativa inteligente entrelaça sonho e realidade, passado, presente e futuro, de forma contagiante.

Se algum dia eu me encontrar, não com o Selton Mello, mas com Stella Maris Rezende, "vou dizer (a ela) que me apaixonei por ele (o livro), e depois vou me afastar, toda louçã, e a vida terá sido esplêndida".

In: Barcadoslivros.org
Heliete Millack, 2011

 
 
 
Email
facebook
Imprimir