Resenhas

As gêmeas da família

Luiz Ruffato

2013

As gêmeas da família é um livro que exemplifica, de maneira expressiva, por que Stella Maris Rezende é uma das mais importantes cultoras da literatura infantojuvenil brasileira. A autora, sem fazer concessões, coloca seu enorme talento e privilegiada sensibilidade a serviço da construção de uma história que encanta pela trama e seduz pela linguagem, enovelando-nos de tal maneira que, sem dar conta, nos vemos, ao fim da leitura, transformados na essência, o que só os grandes livros conseguem.
Os grandes livros são aqueles que se entremostram em suas várias camadas. “As gêmeas da família” é narrativa de mistério, porque conta o drama das trigêmeas sobre as quais pesa uma maldição, e cuja mãe, uma costureira abandonada pelo marido, faz uma promessa para livrá-las de um destino predeterminado. É ainda romance de formação: após um rito de passagem, com direito à participação especial da cantora Rita Pavone, irrompem-se adultas. É também crônica de uma época: a autora faz reviver magistralmente uma cidadezinha do interior de Minas, o Rio de Janeiro da década de 1960, os horrores da ditadura militar.
Mas uma história só se transforma em literatura por meio da linguagem. E Stella Maris entende tudo do ofício. Quando precisa, lança mão de neologismos (estranhumano), arcaísmos (ponhação, amistança), expressões regionais (botar reparo, ingresia, latomia) e termos da linguagem culta, edificando assim uma narrativa que captura o leitor desde a primeira linha e o conduz, pelo cabresto, até a última. E ao final fica-nos a certeza, a de que a vida se renova a cada novo sonho.


Luiz Ruffato é escritor, autor de Eles eram muitos cavalos (Record, 2007), entre outros livros

 
 
 
Email
facebook
Imprimir